Segurança da Informação na Área da Saúde

Como manter a segurança da informação na área da saúde?

Segurança da informação, dados sensíveis, proteção digital da clínica e dos pacientes. Descubra como manter a privacidade digital na área da saúde.

Em vigor desde 2020, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) busca garantir a privacidade, a confidencialidade e a segurança das informações dos cidadãos brasileiros nos ecossistemas de comércio e de prestação de serviços. E um desses ecossistemas, inclusive, diz respeito à área da saúde, pois é um dos setores que mais lida com dados sensíveis.

Mas como garantir a segurança da informação mediante grande fluxo de dados do paciente? Nesse caso, o melhor caminho é adequar o estabelecimento de saúde às diretrizes da LGPD no que trata da coleta, tratamento, armazenamento e compartilhamento de dados pessoais de terceiros. 

Além disso, é preciso adotar as melhores práticas para oferecer serviços seguros e confiáveis à população, de forma que atendam às necessidades de cada tipo de negócio. Entenda mais neste artigo.

O que é segurança da informação?

Na área da saúde, a segurança da informação é um conjunto de normas, procedimentos e tecnologias que buscam assegurar a proteção de dados do paciente, bem como a sua privacidade. Trata-se, portanto, da implementação de soluções como criptografia, protocolos de segurança em nuvem, redefinição de processos, treinamento de equipes entre outras estratégias para evitar ataques de hackers e vazamento de informações sigilosas.

Importância

A transformação digital na área da saúde facilitou a vida dos profissionais do setor, bem como a vida dos pacientes. Hoje em dia, é possível contar com sistemas de gestão de clínicas e consultórios completos, com recursos que possibilitam a realização de teleconsultas, agendamento eletrônico, prescrição digital e pagamento integrado.

Se por um lado a tecnologia amplia o acesso à saúde para milhares de brasileiros e garante mais organização, produtividade e eficiência a clínicas, consultórios, laboratórios e hospitais, por outro lado aumenta os riscos de os estabelecimentos de saúde e seus pacientes sofrerem ataques cibernéticos, causando diversos prejuízos. 

Em 2016, um hospital atacado por hackers teve que pagar US$ 17 mil em bitcoins para recuperar dados dos seus pacientes. Já em 2019, um hospital norte-americano teve seu sistema invadido por hackers, se negou a pagar o resgate pelos dados dos pacientes e optou por desligar o sistema do hospital. A escolha, no entanto, teria causado a morte de um recém-nascido.

Esse tipo de crime cibernético é conhecido como ransomware, um tipo de ataque que consiste em instalar um malware capaz de criptografar arquivos e sistemas de computador inteiros. Cada vez mais vulneráveis a esses tipos de ataques, estabelecimentos de saúde que não contam com tecnologia em nuvem e não fazem backup dos seus dados, se veem obrigados a pagar o resgate solicitado pelos criminosos para recuperar os dados e o uso normal dos seus sistemas.

Com o grande aumento de casos de ataques cibernéticos em hospitais, a segurança da informação ganha ainda mais relevância. É preciso investir em soluções capazes de garantir a segurança dos dados dos pacientes, a qualidade do atendimento e o cumprimento às legislações vigentes.

4 práticas para garantir a segurança da informação na área da saúde

Mas como evitar riscos à vida e à imagem do paciente, bem como prejuízos financeiros a clínicas e consultórios? A seguir você vai conferir algumas práticas capazes de proteger os dados dos paciente e a sua privacidade.

Faça backup dos dados dos pacientes

Como explicamos anteriormente, ataques de ransomware estão cada vez mais frequentes em estabelecimentos de saúde. O crime consiste em criptografar os dados armazenados nos computadores e solicitar um resgate ao estabelecimento para recuperar os dados originais. E quem não investe em segurança da informação, precisa por muita das vezes desembolsar um alto valor para recuperar informações sigilosas do empreendimento.

O primeiro passo para evitar a continuidade desse tipo de golpe é fazer o backup dos dados, seja em um HD externo ou na nuvem por meio de plataformas médicas digitais. Dessa forma, se houver um ataque, você não precisa pagar nenhum resgate e tirar o sistema do ar até que os dados sejam devidamente recuperados. Basta restaurar o último backup para resolver o problema.

Implemente a cultura organizacional da segurança da informação

Outra prática essencial para evitar vazamento de dados sensíveis dos pacientes, é tornar a segurança da informação parte da cultura da empresa. E como fazer isso? Por meio de normas, orientações e treinamento para todos os funcionários do estabelecimento de saúde.

É extremamente importante que todos os colaboradores do local estejam cientes dos riscos do vazamento de dados e de formas de evitar ataques virtuais. Em conjunto com tecnologias apropriadas, essa medida vai tornar os processos da clínica ou consultório mais seguros e aumentar a satisfação e a credibilidade dos pacientes com os serviços prestados.

Tenha controle de acessos

Como o próprio nome sugere, o controle de acesso restringe o acesso dos usuários aos sistemas digitais, contribuindo para a segurança da informação na saúde. Com isso, apenas usuários autorizados passam a ter acesso aos dados do paciente para que possam realizar seus trabalhos.

Para isso, são solicitados métodos de validação, que podem ser senhas, chaves de acesso ou até biometria. Além de restringir o acesso de pessoas não autorizadas aos dados sensíveis, a estratégia também permite monitorar o uso de dados pelos colaboradores do local.

Invista em sistemas de gestão de clínicas e consultórios em conformidade com a LGPD

Criptografia, protocolo de segurança na nuvem, controle de acessos, política de privacidade de dados. Essas são apenas algumas das tecnologias usadas pela OnlineClinic para garantir que estabelecimentos de saúde atendam todas as diretrizes da LGPD e possam proporcionar aos seus pacientes excelentes experiências com os serviços prestados.

A OnlineClinic é uma plataforma de gestão médica que reúne em um único lugar todas as informações que os profissionais de saúde precisam sobre os seus pacientes. As informações ficam salvas em um ambiente seguro na nuvem e podem ser acessadas em qualquer lugar. Os backups dos dados são feitos automaticamente para garantir a segurança da informação no estabelecimento de saúde. 

Intuitiva e fácil de usar, a OnlineClinic é a plataforma de gestão e telemedicina que simplifica a vida do profissional de saúde pelo melhor custo-benefício. Conheça as soluções da OnlineClinic e transforme o seu atendimento com o auxílio da tecnologia.

Posts relacionados

Categorias